A palavra Aromaterapia foi criada no início do século XX (1920) por intermédio do químico francês René Gattefossé, no entanto, a sua verdadeira origem remonta aos princípios da humanidade.

Curadora e criativa, é assim que podemos definir a Aromaterapia. Curadora, porque o seu uso regular fornece inúmeros benefícios à saúde e criativa, porque podemos personalizar os nossos próprios óleos através das inúmeras combinações que podemos fazer com os mesmos.

O potencial curativo da aromaterapia resulta na capacidade de estimular a descontracção e ao mesmo tempo criar uma sensação de bem-estar, tranquilidade a quem a ela se submete.

A aromaterapia tem um efeito e poder curativo, podendo ser utilizados vários modos de emprego (seja para fins terapêuticos ou para fins estéticos) – banhos, massagens, inalações, incensos, velas aromáticas, aromatização de ambientes e perfumes.

A título de curiosidade, sabia que os gregos utilizavam a aromaterapia como pilar fundamental na vida? Queimavam incenso nos templos, salas e cerimónias, sendo um dos seus objectivos – apaziguar os deuses.

Paz e Luz