O japamala é um cordão sagrado de 108 contas usado nas orações, na meditação e na recitação de mantras. É um objecto antigo de devoção espiritual, conhecido também como rosário de orações no ocidente. A origem do Japamala remonta ao terceiro milénio, na Índia. A palavra Japa significa murmurar, repetir, e a palavra Mala significa cordão ou conta. Este objecto sagrado foi levado para o Ocidente pelos romanos  onde deram-lhe o nome de rosarium (rosário), também conhecidos como terços que contém menos de 108 contas.

Segundo os budistas tibetanos e os iogues hindus, 108 é o número que se deve repetir um mantra em cada prática espiritual, ao completar o ciclo de 108 repetições de uma oração, ou de um mantra, alcança-se um estágio superior da consciência. O número 108 é também considerado sagrado, o alfabeto sânscrito possui 54 letra fonemas masculinos e 54 letras fonemas femininos, resultando em 108 fonemas no total, também aparece como a representação do chakra cardíaco nos texto védicos, onde 108 é o número em que se divide o tempo entre passado, presente e futuro.

Entre os materiais dos quais podem ser feitos um japamala, o mais famoso são as sementes de rudraksha (planta nativa da Ásia), também conhecidas como lágrimas de Shiva. Segundo a crença indiana, Buda recebeu a sua iluminação quando meditava a sombra de uma árvore de rudraksha, a partir desta crença, foram atribuídas à rudraksha propriedades medicinais que vão desde o controle do stress a redução de problemas circulatórios. 

Usar um japamala é uma das formas de conectar-se consigo mesmo e com os elementos ou ciclos naturais do universo.

Paz e Luz!