São muitos os mitos em torno dos gatos, sobretudo os gatos pretos. Mitos à parte, vamos a factos e contra estes não há argumentos.

Os gatos são animais de amor e de protecção espiritual, isto porque, já no antigo Egipto eles eram e ainda são considerados animais sagrados, porque simbolizam exactamente isso: a limpeza, a higiene, tanto do ambiente como a deles mesmo.

Preste atenção onde seu gato gosta de dormir, normalmente eles procuram locais onde existe alguma energia parada, essa energia não é necessariamente negativa, mas também não é boa tê-la sem utilidade. Assim, o gato é na verdade, uma espécie de filtro, enquanto dormem transformam a energia ou colocam-na em movimento.

Os gatos gostam de dormir em locais de vertente subterrânea de água, falhas geológicas, radiações telúricas. Comprovado pela Geobiologia e pela Radiestesia, estes locais afectam a saúde das pessoas, provocando doenças, depressão, entre outras. Assim o gato pode ser uma forma de nos prevenir destes pontos. Repare se o seu gato gosta de dormir na sua cama, por exemplo.

Outra lenda ligada aos gatos é o fato de terem sete vidas. Esta questão está associada ao seu campo vibratório perfeito, ou seja, o gato é o animal que mais neutraliza o negativo, se colocarmos numa escala, neutralizaria 100%, daí a questão das sete vidas. O Gato também é o único animal que, como o ser humano, tem sete camadas da aura e mais do que isso, são duplas.

Isto faz com que ele tenha oito sentidos, três a mais do que o normal – que são cinco. Isso é percebido pela sua independência e, podemos dizer sua terceira visão. Quem nunca prestou a atenção em um gato acompanhando o olhar para algo que não conseguimos ver? É comum os gatos perceberem outras presenças nos ambientes.

Além disso, é o único animal da Terra que emite um som vibratório, o “ronronar” quando está em harmonia. Neste momento ele está sintonizando seu campo com o da pessoa ou neutralizando seu próprio campo negativo, por isso é aconselhável pegar um gato no colo pelo menos uma vez ao dia.

Paz e Luz

Fonte